Skip to content

Feijoada: dia nacional do samba

dezembro 2, 2009

4ª feira é dia de feijoada! (de volta das longas férias)

Feijoada oficial? Tô fora. Dia nacional do samba? Pelamô! Coisa de politico – e é mesmo: um vereador baiano fez passar essa data para marcar o dia 02 de dezembro, primeira vez que Ary Barroso visitou Salvador. Motivo torpe. Pior: com intençõe$ turi$tica$. Em tempos de dólar na meia, comemorar iniciativa de vereador é bancar o idiota ou ingênuo. Oficializar o samba? Já faz tempo: o sambódromo existe por causa do Brizola (com aval do Darcy Ribeiro), copiado por São Paulo e pelo bumbódromo amazônico. Let’s make sausage. With beer. Nesse sentido, o Galo da Madrugada recifense tem mais samba do que a Mangueira.

Quer saber? O samba resiste, mesmo, fora desses esquadros e molduras. Nos botecos e caixas de fósforo. No motoboy que batuca sua lataria velha na pausa do farol vermelho. No moleque que sai da pelada com o cavaquinho embaixo do braço. Ou que procura algum video de Nelson Cavaquinho no UTube. Ele resiste nas letras de dor de cotovelo sinceras e contidas, aquelas que não ficam à vontade no Faustão ou no Gugu. O samba resiste também nas misturas com dê-jotas e outros sotaques, que às vezes acertam e outras erram, mas nunca prejudicam ninguém. Só não resiste ao vampirismo oficial, de baianos e brizolos – aliás, nada resiste a eles, esses fantasminhas de PAC man. E dentro desse oficialismo ele é apenas a figura estática de Ary Barroso no museu de cera. Quem quiser visitar que visite, mas saiba se tratar de um tetrapack com área vip – very infeliz people.

Quer saber? Tá na mesa:

O Samba É Meu Dom (Wilson das Neves/Paulo César Pinheiro)

O samba é meu dom
Aprendi bater samba ao compasso do meu coração
De quadra, de enredo, de roda, na palma da mão
De breque, de partido alto e o samba canção

O samba é meu dom
Aprendi dançar samba vendo samba de pé no chão
No Império Serrano a escola da minha paixão
No terreiro, na rua, no bar, gafieira e salão

O samba é meu dom
Aprendi cantar samba com quem dele fez profissão
Mário Reis, Vassourinha, Ataulfo, Ismael, Jamelão
Com Roberto Silva, Sinhô, Gonga, Ciro e João Gilberto

O samba é meu dom
Aprendi muito samba com quem sempre fez samba bom
Silas, Zinco, Aniceto, Anescar, Cachinê, Jaguarão
Zé com Fome, Herivelto, Marçal, Mirabeau, Henricão

O samba é meu dom
E no samba que eu vivo do samba que eu ganho meu pão
E é no samba que eu quero morrer de baquetas na mão
Pois quem é do samba meu nome não esquece mais não

No comments yet

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: