Skip to content

Feijoada: no Clube do Balanço, sócio estica da matinê ao sol raiar

junho 24, 2009

4ª feira é dia de feijoada!

E na cumbuca de hoje tem samba-rock, sambalanço, samba com cuíca e guitarra. É o Clube do Balanço, que no inicio do mês lançou seu novo album “Pela Contramão”, em versões CD e vinil. Vinil, sim, aquele plástico preto em forma de circulo e que está voltando com tudo. O macaco aqui conversou com Marco Mattoli, band leader e fundador do Clube, e o resultado veio parar aqui. Tá na mesa:

Macacofonia: Por que “Na Contramão”? Contramão de qual via?
Mattoli: Todas as vias. É uma música do disco, que a gente deu muita risada quando acabou de compor. Pela imagem que a gente imaginou: imagina aquele desfile de carnaval, escola de samba, aquela tensão , numa coisa que deveria ser divertida… Organizadíssimo, alas, fantasias, todos indo na mesma direção na avenida… Aí passa um maluco, alegre pra carai, desfilando ao contrário na avenida, se divertindo muito… Êêê! Essa é mais ou menos a nossa vida… rsrs Enfim: contramão quando a gente levou o samba rock do baile do gueto pra rapaziada da vila, pela contramão quando faz uma banda enorme que nunca vai dar dinheiro, pela contramão quando começa a dar certo esse absurdo e aí a gente resolve fazer um disco autoral e sem nenhum “gancho ” de alguma coisa já famosa… Enfim: uns velhinhos rebeldes…

Pela Contramão:

Mac: Esse album parece ter mais músicas autorais que os dois anteriores. De onde veio essa mudança? Vocês estão compondo mais?
Mat: Ele é todinho autoral, e tem músicas de todos da banda. Eu sempre componho, mas o Clube tinha uma coisa de cavar clássicos do balanço do baú. Mas agora tem um monte de banda cantando Mais Que Nada e Zamba Ben… E acho que é hora de mostrar coisas novas que se encaixem nesse universo.

Morando No Sapato:

Mac: Como anda a cena do samba-rock? Fora de São Paulo o público é muito diferente? E fora do Brasil?
Mat: Em São Paulo virou um standard! Quem diria! Tem bandas, casas, e noites dedicadas… Em Porto Alegre é impressionante: é uma febre, toda semana uma nova banda que toca samba rock nos adiciona no MySpace. É muito legal! Pra gente, que ouviu que era uma loucura fazer samba rock lá em 97, 98, isso é um presente! Fora do Brasil é impressionante: dá pra sacar que a bossa e o balanço deixaram saudades.

E Como O Vento Foi Embora:

Mac: Como você vê a internet e o P2P, a distribuição gratuita de músicas entre os fãs, sem intermediação das gravadoras ou dos artistas?
Mat: Acho que as grandes gravadoras conseguiram destruir o que era delas, a indústria do disco hoje se sucateou. Mas ninguém vive sem música e sem fazer música, e o negócio da música está achando outros meios de existir. Não julgo nada, mas a internet e o P2P, a distribuição gratuita de músicas entre os fãs, são as maneiras de se falar com quem gosta da sua música hoje.

Mac: O Clube é social ou esporte fino?
Mat: Tênis, sem chance. Proibido entrar de boné. Alugue um terno e tire o longo do armário. Se não der a gente batuca no quintal mesmo…

2 Comentários leave one →
  1. casadanegrita permalink
    junho 24, 2009 5:42 pm

    O Clube do Balanço é a nata do samba rock contemporâneo. Já conquistou respeito musical e social. ida longa ao Clube. E parabéns pela entrevista!

  2. casadanegrita permalink
    junho 24, 2009 5:43 pm

    Ops… VIDA LONGA AO CLUBE!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: